Pin It button on image hover

Bolo de Chocolate com Cobertura de Natas e Pasta de Framboesa


Com os miúdos de férias, confesso que aumentam os pedidos de bolos. O de chocolate, como devem calcular, é dos mais pedidos por todos.
Neste bolo, experimentei uma cobertura diferente com a utilização da Pasta de framboesa da Dulcis que envolvi em natas bem batidas e só posso dizer que adorámos pois é um produto que, além de muita qualidade e ser rico em fruta, tem um sabor delicioso.




Aqui fica a receita:

6 ovos
220 g de açúcar
250 g de farinha
1 c. de chá de fermento para bolos
120 g de chocolate em pó
2 dl de água quente
2 dl de óleo
1 pacote de natas
1 embalagem de Dulcipasta de Framboesa 200 g
Margarina para untar a forma
Farinha para polvilhar
Raspas de Chocolate, para enfeitar


Ligue o forno a 180º C. Unte uma forma, com margarina e polvilhe-a com farinha, reserve.
Bata os ovos com o açúcar até triplicarem de volume.
À parte, peneire a farinha com o fermento e o chocolate em pó.
Aos ovos, junte agora a água quente continuando a bater e só depois junte o óleo. Bata bem e envolva depois a mistura de farinha e chocolate em pó, aos poucos e envolvendo-a delicadamente.
Verta na forma reservada e leve ao forno durante 40 minutos.
Enquanto isso, bata as natas e junte depois a pasta de framboesa, reserve no frigorífico.
Passados os 40 minutos, retire o bolo e deixe que arrefeça completamente.
Cubra com o creme de natas e framboesa, e enfeite com lascas de chocolate.




Tarte de Requeijão com Compota de Ruibarbo

Tem uma textura viciante e um sabor único, que a faz ser das minhas tartes favoritas, ou não me trouxesse ela, algumas boas memorias de infância...




5 ovos, à temperatura ambiente (separados)
Uma pitada de flor de sal
180 g de açúcar
250 g de requeijão Tété de mistura
Raspas de um limão
90 g de manteiga de vaca Tété
100 g de farinha
3 colheres de sopa de farinha Maisena
1/2 c. de chá, de extracto de baunilha




Pré-aquecer o forno a 180º C.
Untar uma forma sem buraco, com margarina, forrar com papel vegetal e tornar a untar. Reservar.
Bata o requeijão, com o açúcar, as gemas, as farinhas, a raspa de limão e a manteiga de vaca amolecida, até conseguir um creme macio.
Bata as claras com o sal,em castelo firme.  Envolva delicadamente, à mistura de requeijão. 
Colocar a massa na forma redonda untada e forrada e levar ao forno por cerca de 35/40 minutos (vai depender do forno).



Desenformar apenas quando arrefecer.
Sirva polvilhado com açúcar em pó e acompanhe com compota de ruibarbo (receita aqui) ou outra da sua preferência.



Para finalizar, quero aqui deixar um Beijinho à nossa Isabel que hoje faz anos. Parabéns amiga e muitas felicidades. Vou agora mesmo sair de casa a caminho da tua festa e levo esta tarte,espero que gostes...

"Pasta" de Feijão Verde com Tomate e Bacon



Eu bem queria apresentar-vos aqui receitas frescas e mais leves, mas de facto este verão anda a trocar-nos as voltas e tem havido dias em que apetece uma refeição bem reconfortante, como esta que vos trago hoje.
Tinha muitos feijões da horta dos meus sogros bem tenrinhos para gastar e esta foi a receita rápida e deliciosa que arranjei para gastá-los. Com um ar bem rústico esta "pasta" de feijão verde vai-vos deixar saciados...


3 tomates maduros
2 chávenas de feijão verde
2 colheres de sopa de azeite 
2 a 3 dentes de alho, picados
1 cebola picada
100 g de bacon fumado
1 colher de sopa de folhas de orégão frescos e hortelã
1 colher de sopa de folhas de manjericão
1/2 chávena de água quente
1 pitada de sal e pimenta moída, a gosto
Ovos q.b.


Numa frigideira grande aqueça o azeite. Adicionar o alho e a cebola e cozinhar por cerca de 3 minutos até que ambos fiquem macios e dourados. Adicione o bacon e, mexendo sempre, deixe que frite um pouco e largue o seu sabor. Junte depois os tomates maduros picados grosseiramente e 1 c. de chá de açúcar. Tempere de sal e pimenta e junte os oregãos e a hortelã (eu juntei também salsa que tinha em muita quantidade). Cubra e cozinhe em lume baixo por cerca de 15 minutos mas vá mexendo, ou agitando o tacho ocasionalmente.
Enquanto isso, prepare o feijão verde, cortando-lhe as extremidades e depois ao meio, longitudinalmente. Os mais tenros podem colocar inteiros apenas retirando as pontas.
Junte agora ao refogado de tomate, a água e o feijão verde e as folhas de manjericão e aumente a temperatura para lume médio. Cozinhe por 7/8 minutos ou até verificar que está  "al dente". 
A meio da cozedura junte os ovos para escalfar. Rectifique os temperos e sirva de imediato.

Hoje a convidada do "Por detrás do Blog" é...


A 2ª entrevistada que vos trago hoje é, tal como a primeira, uma Isabel e é também para mim muito especial e com um blog, uii que já nem me lembro desde à quanto tempo o sigo. Lembro-me sim, que era ainda na altura, escrito por 3 meninas, e que eu visitava sempre que podia. Estava mesmo na lista de blogs obrigatórios mas, no inicio eu era muito reservada e nem ousava deixar lá comentários mas seguia-os com muita atenção, respeito e total devoção.
E, se eu já tinha esta paixão pela cozinha, digo com toda a certeza, que foram estas e outras tantas meninas e blogs, que aumentaram esse amor e me "abriram os olhos" para novos rumos e horizontes culinários. 

Antigamente, confesso que eu era muito pratica e procurava o que era mais simples de fazer mas hoje, graças a elas, não me contento com pouco e adoro descobrir, pesquisar e inovar com novas receitas e novos ingredientes e nada me dá mais felicidade do que partilhar depois com a família, 4 filhotes super críticos e o marido, que foi ganhando a mesma paixão pela cozinha e hoje, adora meter a colher e entrar comigo nestas aventuras gastronómicas.
Por tudo isto, e por o seu blog ser para mim outra grande referência, a Isabel tinha de estar também ela, aqui neste meu humilde espaço. 
Ao contrário da Isabel Zibaia, não a conheço pessoalmente, mas é como se a conhecesse, pois ao trocarmos algumas/muitas mensagens, identifiquei-me de imediato com ela e percebi, que para além de talentosa, era também de uma grande simpatia e uma pessoa muito generosa. Fica o desejo de um dia a conhecer pessoalmente e o orgulho de a ter como amiga e espero que assim continuemos por muitos e bons anos...


Falo de... Isabel Lacerda, a nossa Pipoka 



a pessoa "por detrás do blog":


THREE FAT LADIES 

Apresento-vos então, Isabel Lacerda de 43 anos, redactora publicitária, a viver em Lisboa.

1-Como surgiu o blogue na tua vida? Fala um pouco sobre ele e do que significa para ti.
Desafiei duas colegas e amigas a fazer o blogue em 2007 para partilharmos receitas umas com as outras. Mas, passado um ano, acabei por assumir sozinha o comando do blogue, pois era a que tinha maior disponibilidade.
Para mim, o blogue é uma possibilidade de evolução numa área que sempre me apaixonou. É um escape à rotina. É partilhar experiências e dúvidas com outras pessoas tão apaixonadas por cozinha quanto eu. É incentivar quem não sabe cozinhar (ou não tem paciência) a meter as mãos na massa – isso aconteceu com 3 ou 4 amigas minhas que começaram a cozinhar por causa do meu blogue... isso é motivo de grande orgulho para mim.

Three Fat Ladies


2- De que forma ele mudou a tua vida?

Por um lado, serviu para melhorar competências na cozinha, satisfazer a minha vontade de saber mais nesta matéria, testar novos ingredientes, incentivar-me a fazer pratos que nunca pensei ter capacidade para executar. Por outro lado, levou-me a conhecer pessoas extraordinárias, algumas delas tornaram-se minhas amigas.

3- Quais os aspectos positivos e negativos de ter um blogue.

A resposta anterior espelha os positivos: o aumento de conhecimento e experiência, as amizades.
Quanto aos negativos, a pressão... Ou seja, a partir do momento em que percebes que tens leitores, sentes que tens uma obrigação de não os desiludir, de publicares com regularidade, de tirares fotos bonitas... só que essa pressão, pontualmente, pode transformar o blogue numa obrigação e acaba por se quebrar o encanto. De vez em quando, tenho que parar por causa disso.


4- Que prato cozinhas mais vezes, seja pela simplicidade ou porque simplesmente adoras e te faz a ti, e aos outros, feliz?


Favas! Acho que é o prato de que mais gosto da gastronomia portuguesa. Quando é época delas, é certo e sabido, todas as semanas há pelo menos uma refeição de favas guisadas com entrecosto, chouriço e farinheira.






5- Que receita ou ingredientes, nunca experimentaste e recusas comer?

Por princípio, só formulo opinião sobre alimentos e ingredientes depois de os provar, mas também até hoje nunca me ofereceram nada de muito estranho... De qualquer forma, nunca fui capaz de comer coelho.

6- Se tivesses que escolher a ementa perfeita, para um dia feliz, com amigos e família, o que escolherias? Elabora um pequeno menu.


pannacotta de iogurte e erva-príncipe_3Se estivéssemos no Inverno, a resposta seria um almoço de domingo com o obrigatório assado. Mas com este calor, só me lembro de piqueniques. Levaria uma salada de melancia com queijo feta, uma esmagada de favas com alheira, azeitonas (temperadas com alho, azeite e zest de limão), alguns enchidos cortados finamente, pão, pataniscas, salada verde, fruta (cerejas e pêssegos!), uma panna cotta de erva principe e iogurte, limonada e chá gelado (feito em casa, é claro!).









7- Que receita ou receitas, mais prazer e orgulho te deram fazer até hoje, ou têm para ti um significado especial. Porquê?




As receitas da minha avó paterna, sem dúvida, pois são uma forma de a recordar:
tarte de atum e o pão de banana  (fotos acima)


8- Ao longo da tua vida, e enquanto blogger, de onde tens recebido influências ou em quem te inspiras? 

A minha avó paterna foi quem me ensinou o amor pela cozinha e é a grande “culpada” por esta minha paixão pela conjugação de especiarias.
A Maria de Lourdes Modesto tem sido uma inspiração pela sabedoria em relação à gastronomia portuguesa, o chef Peter Gordon, pela fusão entre cozinha europeia e asiática.
Destaco o blogue Chucrute com Salsicha, já que a sua descoberta foi o grande impulso para criar o Three Fat Ladies, e os blogues que partilharam comigo o projecto 4 por 6 (Caos na Cozinha, Elvira Bistrot, Cinco Quartos de Laranja, Gourmets Amadores e Tachos de Ensaio) pela inspiração e amizade das meninas que comandam estas cozinhas. Por fim, o Sabores de Canela, pela amizade, inspiração, ensinamentos e... porque quando “for grande” quero ter um blogue assim.  

9- Que projectos ou desejos tens, e que gostarias ainda de concretizar?

Continuar a cozinhar para a minha família e amigos, continuar a fazer experiências culinárias e aprender sempre mais!



Curiosidades:

Que ingredientes não te podem faltar:

...na despensa- especiarias (dezenas...), azeite, leguminosas secas, frutos secos e sementes, conservas de peixe, chás, leite de coco e tomate pelado.  
...no frigorífico- queijo, ovos, iogurtes, alho-francês, alface, massa de malagueta açoriana, molho de peixe, coentros.
...no congelador- grão cozido, espinafres, ervilhas, hambúrgueres caseiros, peixe para cozer ou grelhar.
...na fruteira- limões, pêras, pêssegos, tomates
...na vida- paixão (o ingrediente fundamental para não passarmos pela vida com indiferença, aquele que nos faz ter vontade de acordar todos os dias para fazer acontecer).


"Palavra puxa palavra"

Detesto...  conformismo
Adoro... conversar
Vicio... chocolate
Defeito... teimosia
Qualidade...  frontalidade
Paixão... cozinhar
Viagem... São Tomé e Príncipe
Livro...  Memorial do Convento, José Saramago
Restaurante... Umai
Ingrediente...  canela
País...Índia
Cidade... Londres
Chef... Peter Gordon
Personalidade.. Frida Khalo
Obrigada minha querida Isabel por teres aceite o meu desafio e que seja longa e feliz a jornada do teu blog Three Fat Ladies e sempre com muito sucesso.


Quanto a vós, queridos leitores e amigos, espero que tenham gostado e já estejam curiosos com o próximo
"Por detrás do Blog"  onde prometo mais uma pessoa fantástica e especial...