Pin It button on image hover

Rosti de Cenoura e Batata Doce

Não sei se a esta minha versão, será correcto chamar Rosti (receita tradicional da culinária suíça) mas, na hora de escolher o nome, foi essa a minha escolha.
Feita com batata doce e cenoura e levada depois ao forno de modo a ficar ligeiramente crocante, serviu para acompanhar uns deliciosos e suculentos bifinhos de frango. Óptima  solução, para variar dos tradicionais acompanhamentos como o arroz, a massa ou mesmo a batata frita.
Experimentem que não se vão arrepender!





400 g de batata doce
2 cenouras
Sal e pimenta q.b
Azeite q.b

Acessório:
Mandolina Borner em que usei a placa de 3.5mm,  para palitos finos






Pré-aqueça o forno a 180 ° C.
Descasque as batatas e cenouras e rale-as com a ajuda do cortador Borner de modo a ficarem em palitos. Tempere de sal e deixe a repousar por cerca de 5 minutos.
Passado esse tempo e com a ajuda das mãos, escorra bem a batata e a cenoura, apertando-a bem enquanto vai colocando noutro recipiente. Regue com um pouco de azeite e tempere com pimenta preta e envolva tudo. Unte uma forma com manteiga e espalhe a mistura de batata e cenoura, espalhando e calcando ligeiramente, por todo o fundo.
Leve ao forno por cerca de 35/40 minutos, ou até ficar bem dourado e crocante dos lados.
























Beijinho e uma feliz Quarta-feira!

Granizado de Café

Aqui pelo Porto, anda um calor infernal, coisa a que não estávamos de todo habituados. E para fazer face a estas temperaturas, nada como beber muita água, sumos naturais de frutas e ...granizados.
Hummm este de café, é uma verdadeira delicia!!





220 ml de café forte, já pronto
400 g de cubos de gelo
80 g de açúcar amarelo
1 casca pequena, de limão (só a parte amarela)







Comece por dissolver o açúcar no café.
Na taça da Cuisine Companion, coloque a lâmina para amassar/triturar, junte o gelo, a casca de limão. Seleccione a Função Pulse durante cerca de 1 minuto ou progressivamente da velocidade 7 até à 12, até o gelo ficar bem triturado.Junte o café e ligue na vel..4 por mais um minuto. Retire.
Sirva de imediato!
Nota: Podem também fazer na liquidificadora.

Espero que gostem e apreciem!

Fonte da receita: Teleculinária Robot de Cozinha Julho 2016



Beijinho e boa semana!

Máquinas Fotográficas de Sonho/Worten

O sonho de qualquer blogguer....

Produtos de Sonho para Qualquer Cozinha/Worten

Arroz Rápido de Cogumelos

Cozinhar todos os dias, para 6 pessoas não é fácil (risos), acreditem!!
Depois, tem dias que fazemos à justa, outras em que calculamos mal e sobra  imensa comida.
O arroz, é uma das coisas que acontece mais ter como sobra, e por aí? Não vos acontece também?
Pois a receita de hoje, é perfeita para usar essas sobras e fazer uma refeição rápida, simples mas super deliciosa.
Espero que gostem da sugestão...






2 cháv. de arroz branco, cozido (usei sobras de arroz branco com ervilhas)
200 g de cogumelos (Cogumelos do Migaas)
Cogumelos do Migaas
2 c. sopa de manteiga
1 cebola roxa, cortada em cubos
4 c. sopa de vinho do Porto
1 c. sopa de. molho de soja
Sal e pimenta preta

Acessórios:
Wok da nova linha Pedra da Celar







Comece por derreter no wok, um pouco de manteiga.
Adicione os cogumelos, limpos e fatiados e deixe que ganhem um tom bem dourado, enquanto vai mexendo.
Junte a cebola, tempere de sal e pimenta e deixe cozinhar por mais uns minutos.
Refresque tudo com um pouco de vinho do Porto e deixe reduzir um pouco e só depois junte a soja.
Mexa e de seguida, junte o arroz cozido. Envolva delicadamente todos os ingredientes, rectifique os temperos e sirva.

Wok da nova linha Pedra da Celar

Beijinho e uma feliz Quinta-feira para todos!

Moqueca de Pescada e Camarão

Um dos meus pratos preferidos e a que nunca resisto...





600 g de Lombos de Pescada (usei congelados)
10 a 12 camarões
250 ml de leite de coco
1 limão (sumo e raspa)
1 cebola, picada
3 dentes de alho, picados 
1 malagueta
4 tomates pelados
1 pimento verde
1 pimento vermelho
Azeite q.b.
1 c. chá de Açafrão das Índias Margão
1 c. chá de gengibre fresco ralado
Sal e pimenta q.b.
Coentros frescos picados
Arroz branco

Acessórios
Taça e Cocotte Revol da colecção Revolution





Cocotte e tigela preta Revol

Deixe descongelar o peixe e o camarão e descasque este ultimo mas reservando alguns com a casca. Regue tudo com o sumo e a raspa de limão. Reserve.
Num tacho, (usei a cocotte da Revol), coloque o azeite e a cebola e alhos picados.
Deixe refogar, até a cebola ficar macia. Junte depois o tomate picado e os pimentos, cortados em cubos e mexa deixando apurar um pouco. Adicione o açafrão, a malagueta, o gengibre ralado, o leite de coco e tempere de sal e pimenta.
Deixe ferver, e junte os lombos de pescada assim como o camarão e deixe cozinhar, por cerca de 10 minutos.
Sirva, polvilhado com coentros frescos picados e acompanhado de arroz branco.




Espero que gostem e experimentem!
Beijinho e boa Quarta-feira!

Quatre Quarts de Maçã

Bom dia!
Hoje, trago-vos como sugestão, um bolo típico de França, mais especificamente da região da Bretanha e o seu nome, deve-se ao facto de 4 dos seus ingredientes terem o mesmo peso/quantidade (ovos, açúcar, manteiga e farinha).
Cá em casa, ficámos fãs deste bolinho pois fica super leve e muito fofo ...




4 ovos
200 g de açúcar
200 g de manteiga, amolecida
200 g de farinha com fermento
1 c. de chá de extracto de baunilha (eu usei de amêndoa)
1 maçã, ralada

Acessórios:
Ralador  Borner






Pré-aqueça o forno a 180º C. Unte a forma e reserve.
Na taça da Cuisine Companion com o acessório batedor, coloque a manteiga, o açúcar e o extracto de baunilha. Programar 3 minutos na velocidade 5 .
Programar mais 5 minutos, velocidade 6 e ir deitando, um a um, os ovos.
Remova o acessório batedor e coloque agora a lâmina amassar/triturar e junte a farinha previamente peneirada com o fermento e uma pitada de sal. Misturar durante 20 seg./Vel. 5 .
Retire, e com o ralador Borner rale a maçã e junte ao creme, envolvendo delicadamente.



Verter a mistura para a forma e bata contra a bancada, de modo a retirar-lhe possíveis bolsas de ar e alise, com a ajuda de uma espátula. 
Leve ao forno a cozer, por cerca de 10 minutos a 180º C, depois reduza a temperatura para os 140º e coza por mais 45/50 minutos (neste passo, convém ir vigiando pois vai depender de cada tipo de forno).
Retire e deixe arrefecer antes de o desenformar.
Sirva o bolo, polvilhado com açúcar em pó.





Tarte de Atum e Beringela

Vi esta receita na página do facebook da Maizena, e não resisti a fazer mas dando-lhe o meu toque pessoal: juntei beringela assada em conserva e, em vez de leite, usei creme de soja
É optima para um lanche e perfeita como entrada ou para levar para um piquenique...



Ficou fantástica, suculenta e muito apetitosa. Espero que experimentem também!



3 ovos
2 dl de creme de soja Shoyce (ou leite)
1 lata grande de atum (ou 4 pequenas)
30 g de azeitonas descaroçadas, em rodelas
40 g de tomate seco
1 cebola roxa, picada
1 lata pequena de milho, em conserva
2 c. sopa de beringela assada, em conserva Ponti
2 c. de salsa picada
Sal e pimenta preta
Orégãos secos q.b.
Alho em pó, a gosto
100 g de farinha de milho
50 g de amido de milho Maizena
1 colher de sobremesa de fermento em pó








Ligue o forno nos 180ºC.
Bata os ovos, junte creme de soja (ou leite) e reserve.
Numa taça, coloque o atum em lascas, as azeitonas em rodelas, o tomate seco cortado em pedacinhos, a beringela em pedaços, a cebola roxa picada, o milho escorrido e a salsa picada.
Tempere de sal e pimenta preta moída na altura, uma pitada de orégãos secos e o alho em pó a gosto.
Adicione a mistura de ovos e envolva, mexendo bem.
Finalmente, junte a farinha de milho, previamente misturada com o amido de milho Maizena, e o fermento em pó e mexa até a mistura estar homogénea.
Deite o preparado numa forma de tarte, forrada com papel vegetal e leve ao forno a cozer, por cerca de 35 minutos.


Beijinho e uma boa semana para todos!

Queijada de Sintra

Quando olhei para esta receita no blog da Raquel "O Meu Report...culinário", sabia que não podia demorar muito para a fazer. Sempre que vou a Sintra tenho de comer e levar para oferta, os famosos pasteis e estas deliciosas queijadinhas. Fiquem e anotem, esta receita pois é de facto fantástica e muito simples.
E mesmo sendo feita em casa, não fica nada atrás das que compramos, naquela linda vila do nosso País.
Vamos para a cozinha?





Massa:
200 g farinha
100 g água
1 pitada de sal

Recheio:
400 g queijo fresco (2 grandes)
200 g açúcar
6 gemas
60 g de farinha
Raspa de meio limão (acrescentei eu)
1 c. de sobremesa, de canela em pó




Colocar na taça da Cuisine Companion com a lâmina amassar/triturar, a farinha a água e o sal, e seleccionar o programa massas P1.
Retire e envolva a massa em película aderente Reserve no frigorífico por cerca de 2 horas.

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Lave a taça e a lâmina e coloque-a novamente. Deite o queijo, o açúcar, as gemas, a farinha, as raspas de limão e a canela. Envolva programando 30 seg./Vel 8.

Numa superfície polvilhada com farinha, estenda a massa finamente, usando um rolo de cozinha. Unte uma tarteira de fundo amovível, forre-a com a massa e por cima deite o recheio. Leve ao forno, por cerca de 35 minutos.

Um doce fim de semana!

Sopa de Abóbora e Beldroegas

Com um saco enorme de beldroegas para gastar, há que arranjar formas de lhe dar uso para além das saladas, como a que trouxe aqui ontem e de que agora não prescindimos.

"Esta planta, profundamente enraizada no Sul do País (sobretudo no Algarve e Alentejo), era usada com frequência na alimentação por gerações anteriores, mas actualmente ameaça cair em desuso. O que poucos sabem é que, se for consumida diariamente em saladas, sopas ou guisados – defende a coordenadora do Laboratório de Química dos Alimentos, Isabel Saraiva de Carvalho, “pode prevenir o colesterol e a diabetes”. “A beldroega é a planta terrestre mais rica em ácidos gordos omega 3”, refere a professora auxiliar da UALG, que explica a necessidade de haver um equilíbrio entre o consumo de omega 6 e de omega 3, o que não acontece na alimentação actual. “Esta planta tem uma espécie de sistema alternativo. O omega 6 é a gordura que vem, por exemplo, do azeite e é extremamente benéfico, ninguém duvida. Trata-se de uma gordura poliinsaturada. Mas a questão, e é isso que tentamos provar, é que o consumo do omega 6 por si só não é solução. É o balanço dos dois (omega3 e 6) que importa”, defende. Este óleo essencial também está presente no peixe de água fria, mas a planta é mais fácil de consumir, na forma de saladas, chás ou sopas. “Acreditamos que este consumo é importante para que o balanço entre o omega 6 e o omega 3 volte a ser equilibrado. O omega 3 ficou esquecido”, diz a investigadora que, há quatro anos, e na sequência de um rastreio feito a outras plantas, como o espinafre ou o agrião, percebeu que “a beldroega tem valores muito superiores”. "É BENÉFICA PARA A SAÚDE E SABE BEM"
Texto retirado daqui

Por tudo isto. acho que é mais que justo trazer aqui para o blogue, receitas tendo como um dos ingredientes principais a Beldroega.
Espero que gostem da receita de hoje:

Sopa de Abóbora e Beldroegas




200 g de abóbora, em cubos
1 mão cheia de ramos de beldroegas
1 nabo, em cubos
2 cenouras, ás rodelas
1 cebola, em cubos
Azeite e sal q.b.

Guarnição:
2 c. sopa de queijo feta, esfarelado
Sementes de Abóbora 

Acessórios:
Tampa-Flor (anti-derrame em silicone, para cozinhar a vapor, evita salpicos na frigideira, no forno e no microondas. A tampa universal)










Leve ao lume a cozer, a abóbora, o nabo, as cenouras e a cebola, tudo cortado em cubos. Tempere de sal e tape com a tampa-flor da Kochblume (com ela colocada terá a certeza de que ao ferver esta não irá derramar e sujar o fogão, o que é bastante chato).



A 5 minutos do fim, coloque sobre a tampa-flor as beldroegas, e tape para que estas cozam ao vapor.
Triture a sopa até ficar em puré junte os raminhos de beldroegas e sirva, guarnecendo com as sementes de abóbora e queijo feta esfarelado.


Beijinho e uma Feliz Sexta-feira!